FOREVER LIVING – O GLOBO

___

Anúncios

PROMOÇÃO MALUCA!

COMPRE AGORAQUEIMA DE ESTOQUE

FOREVER LIVING

ATÉ 18/07/2011

NÃO PERCA ESTAREMOS TE ESPERANDO!

EM TODO ESTOQUE

AQUI

CABELOS OLEOSOS

Você lava diariamente os cabelos, corre atrás de um xampu que dê resultado, mas nada disso adianta, pois dentro de algumas horas eles vão ficando pesados e parecem grudar no couro cabeludo. Esses são sinais típicos de um cabelo oleoso, uma outra anomalia do couro cabeludo que é a oleosidade excessiva.

Ana Rita Santos Teles, 30 anos, que apresenta essa disfunção capilar, diz que evita fazer escova e passar prancha nos cabelos, pois logo em seguida tem que lavá-los porque não agüenta a coceira. “Eles ficam com uma expressão de sujeira, o que me incomoda bastante”, conta.

Segundo o terapeuta capilar Carlos Ferraz, a causa desse problema é de ordem genética, mas alterações hormonais e estresse também pioram o problema. “Ela se dá pela produção de glândulas sebáceas que normalmente entram em hiperatividade por alguma disfunção endócrina ou até mesmo por um processo de atividade exacerbada dessas glândulas de fatores genéticos”, explica.

De acordo com o especialista, geralmente, quem tem a pele oleosa também apresenta cabelos oleosos. Isso porque nesse tipo de pele as glândulas sebáceas do couro cabeludo produzem mais gordura do que o normal.

Alguns hábitos como banhos quentes e o uso incorreto dos produtos (principalmente o condicionador mal enxaguado ou aplicado na raiz), podem piorar essa característica.

Quem tem esse tipo de problema sofre ainda mais no calor. É que a temperatura elevada faz com que as glândulas sebáceas que ficam no couro cabeludo se abram, provocando maior produção de óleo.

Juliana Dias, 15 anos, conta que no verão lava os cabelos duas vezes ao dia. “Sofro no verão porque preciso lavá-los com mais freqüência. Também evito passar as mãos pelos cabelos porque até isso provoca oleosidade e começa a me incomodar” diz a estudante.

Tratamento

Para se livrar desse incômodo constante e diário, o recomendado é procurar uma clínica especializada em tratamento capilar a fim de que o terapeuta possa analisar o couro cabeludo. “A oleosidade excessiva, quando genética, não tem cura, por isso é recomendado um tratamento”, afirma Carlos Ferraz.

No mundo da cosmética já existem xampus e loções indicados especificamente para esse tipo de cabelo. Eles removem os resíduos sem ressecar tanto os fios. Xampus anti-caspa também ajudam e, se o caso for grave, o dermatologista pode indicar medicamentos via oral.

O Champô de Aloe e Jojoba limpa a fundo o couro cabeludo e o cabelo, deixando-o hidratado, brilhante e fácil de pentear. É uma fórmula com pH dermocompatível que alia os benefícios do Gel de Aloe Vera estabilizado com o Óleo de Jojoba, por isso é ideal para qualquer tipo de cabelo, mesmo os oleosos.
O Aloe neste champô pelas suas propriedades adstringentes, ajuda a remover todas as células mortas existentes no couro cabeludo e fortifica os folículos pilosos e as papilas constituintes do cabelo devido aos seus aminoácidos.
O Óleo de Jojoba é outro ingrediente importante neste produto, pois é um excelente hidratante, há muito tempo  utilizado  nos produtos de higiene capilar. Tem a capacidade de eliminar a seborreia e, ao mesmo tempo, fortalecer o couro cabeludo e o cabelo.
É responsável pela aparência resplandecente do cabelo, evitando as pontas espigadas.

Dicas de auto-cuidado

  • Mantenha os cabelos sempre limpos e nunca esfregue o xampu, porque isso também estimula as glândulas sebáceas.
  • Não passe as mãos e evite escovar muito o cabelo, para não estimular a produção de sebo.
  • Lave o cabelo todos os dias em água morna ou fria e com xampus à base de substâncias desengordurantes (hamamélis, jaborandi e castanha-da-índia).
  • Condicionador, só nas pontas. E evite os produtos 2 em 1.
  • Mantenha o secador a 15 centímetros de distância e na temperatura morna ou fria.
  • Tome bastante água diariamente para ajudar a regularizar a produção sebácea.

ALOE VERA E SUAS QUALIDADES DR. HENDERSON

(fonte: Blog Aloe vera e saúde)


– Dr. C. Greg Henderson – Fallbrook Chiropractic Center Director –
– D.C., F.C.T.S. – Médico Quiroprático e Membro do Conselho de Saúde Mental –

Quando estive procurando produtos de ALOE VERA, há doze anos, descobri que a Forever Living Products produzia os melhores. Utilizei tais produtos durante estes doze anos, tanto em mim como em meus pacientes, conseguindo sem nenhuma exceção, incrementar a qualidade de vida.

Um dos principais motivos pelos quais se conhece a ALOE VERA é seu grande poder de aliviar a dor. A explicação é simples:

A ALOE VERA penetra nas camadas profundas da pele, tranqüiliza os nervos e reduz a inflamação. Ela é, portanto, um antiinflamatório, e é por isso que as pessoas obtêm bons resultados com o consumo de ALOE quanto têm doenças inflamatórias, como artrites. A ALOE penetra nas enzimas que causam a inflamação, combatendo e fazendo com que a inflamação não se estenda.

A ALOE contém um ingrediente que permite que o organismo elimine o colesterol.

A ALOE limpa e purifica o sangue no fígado.

A ALOE é um coagulante do sangue em CORTES e FERIDAS.

A ALOE é um produto natural que é absorvido facilmente pelo organismo, e se obtém grandes resultados tomando pequenas quantidades.

A ALOE é um regenerador celular.

A ALOE contém ácido urônico, que elimina certos materiais prejudiciais ao organismo.

A ALOE tem um efeito antibiótico.

Uma das principais qualidades da ALOE VERA é ser um estimulante do crescimento celular. Por exemplo, em um corte, a ALOE penetra na ferida e a fecha, de dentro para fora. Os hospitais nos Estados Unidos que utilizam ALOE estão obtendo um tempo de cura até 50% mais rápido que os outros. Ela é muito utilizada nas terapias de câncer, quimioterapia e radioterapia. Os pacientes que usam ALOE VERA normalmente não apresentam perda de cabelo, não ficam doentes durante as terapias e respondem muito mais rápido ao tratamento.

Quando aplicada em feridas e queimaduras, penetra na pele e restitui os fluidos sem impedir que a oxigenação chegue até a ferida, acelerando o processo de cura e reduzindo o tamanho da cicatriz.

A ALOE é um energético. Se a tomarmos diariamente, teremos menos necessidade de dormir. Não é somente um produto nutritivo de elevada qualidade, tem ainda grande poder curativo e é um regenerador celular.

A ALOE VERA tem a propriedade de desintoxicar o organismo, eliminando toxinas procedentes do ar que respiramos e dos alimentos que consumimos.

A ALOE VERA é conhecida como planta curativa, porque proporciona ao corpo o mecanismo necessário para sua melhora ou para a prevenção da enfermidade.

A ALOE destrói a bactéria que causa a úlcera péptica (úlcera do estômago ou úlcera do duodeno), em 92% dos casos.

Se sofremos de alguns transtornos intestinais como colite, diverticulite e outros, a ALOE pode solucioná-los.

Para que a ALOE atue da melhor forma, ela deve possuir quatro qualidades fundamentais:

tem que ser da planta Barbadensis;
deve ter no mínimo quatro anos;
tem que crescer em solo apropriado;
tem que ser corretamente estabilizada.

A ALOE VERA da Forever Living é a única que possui todos esses requisitos.

PROPRIEDADES DA ALOE VERA

É um limpador natural devido à presença de SAPONINAS.
Penetra no tecido graças ao conteúdo de LIGNINA.
Anestesia o tecido na zona onde é aplicada, aliviando a dor, mesmo nas camadas mais profundas.
É bactericida quando usada em grandes concentrações, durante algumas horas em contato com a bactéria.
Pode reduzir hemorragias.
É viricida, quando usada em grandes concentrações, durante algumas horas, em contato direto com o vírus.
É fungicida, quando usada em grandes concentrações, durante algumas horas, diretamente em contato com os fungos.
Devido ao conteúdo do esterol da planta, atual como um antiinflamatório.
É antipruriginoso – faz desaparecer o prurido e o ardor.
É um hidratante natural – hidrata todas as camadas da pele.
Estimula a granulação – divisão celular.
As enzimas proteolíticas destroem o tecido morto, limpando a ferida.
Ajuda a manter o fluxo sangüineo, dilatando os capilares.
Proporciona uma ampla variedade de vitaminas, minerais, enzimas e aminoácidos, tanto os essenciais como os secundários.
É muito eficaz matando cepas virulentas de triconomas vaginais.
É anti-séptico e analgésico.
É antitóxico e anti-séptico. A ALOE VERA aumenta as reservas do corpo para neutralizar distintos venenos animais neurotóxicos e necrosantes.

Forever Brigth® Toothgel (Gel Dentífrico de Aloe)

O Aloe é uma planta muito versátil, por isso, também é usada nos produtos odontológi-
cos. Este Gel Dentífrico é um dos melhores que existem actualmente no mercado. É
formulado com grandes concentrações de Aloe e de outros ingredientes de origem
vegetal. O seu conteúdo em Extractos de Mentol origina uma sensação de frescura,
evitando a halitose (mau hálito). A combinação do Aloe Vera Gel com Própolis de
Abelha mantém as suas gengivas e mucosas saudáveis. Pode ser aplicado directamente
nas gengivas sensiveis quando é doloroso escovar os dentes.
Numerosos estudos demonstraram que o Aloe Vera estabilizado em grandes concen-
trações elimina as bactérias causadoras de cáries. Assim, e como se utiliza neste produ-
to altas concentrações de Aloe, está provado que é uma pasta dentífrica muito eficaz,
pois apesar de não ser abrasiva tem uma extraordinária capacidade de limpeza. Dá mais
brancura aos dentes sem sacrificar o brilho.

INGREDIENTES
Aloe Barbadensis Gel (Stabilized Aloe Vera
Gel), Sorbitol, Hydrated Silica, Glycerin,
Sodium Lauryl Sulfate, Carrageenan, Flavor,
Bee Propolis, Sodium Saccharin, Sodium
Benzoate, Chlorophyllin-Copper Complex.

CONTEÚDO
Cada embalagem contém 130g.

MODO DE USAR
Após as refeições escove os dentes com o
Gel Dentrífico de Aloe, utilizando uma
pequena quantidade.

Nota: este produto não contém flúor.

PONTOS-CHAVE
•Promove o brilho e brancura  dos dentes sem danificar
•Eficaz na limpeza dos dentes
•Origina um hálito agradável
•Não contém Flúor
•Mantém as gengivas e mucosas   saudáveis

LOJA VIRTUAL

Preços imperdíveis!!!

PSORÍASE

O que é?

A psoríase é uma doença inflamatória da pele, benigna, crônica, relacionada à transmissão genética e que necessita de fatores desencadeantes para o seu aparecimento ou piora (principalmente no inverno). Afeta 1 a 2% da população mundial. Acomete igualmente homens e mulheres, embora o início seja mais precoce nas mulheres. Existem dois picos de idade de prevalência: antes dos 30 e após os 50 anos. E, em 15% dos casos, surge antes dos dez anos de idade.

Como se desenvolve?

É uma doença não contagiosa, multigênica (muitos genes envolvidos), e em parte dependente de fatores externos. Pode aparecer sob diferentes formas clínicas e diferentes graus da doença. É descrito 30% de incidência familiar.

O desencadeamento pode ocorrer em qualquer idade, motivado por influência do meio, alguns medicamentos ou estresse.

Em pessoas com história familiar, o início parece ser mais precoce.

O que se sente?

As lesões são muito típicas, com períodos de exacerbações e remissões, localizados principalmente em superfícies de extensão como joelhos e cotovelos, couro cabeludo, palmas das mãos, sola dos pés (áreas de maior traumatismo).

Os quadros de psoríase recebem sua denominação conforme sua localização e aspecto:

Psoríase Vulgar:

Placas de tamanhos variados, bem delimitadas, avermelhadas, com escamas secas e aderentes prateadas ou acinzentadas nos locais mais comuns (couro cabeludo, cotovelos, joelhos, por exemplo).

Psoríase invertida:

Lesões mais úmidas, localizadas em áreas de dobras (embaixo das mamas, área genital, entre nádegas).

Psoríase Gutata:

Lesões em forma de gotas associadas a processos infecciosos. As lesões são pequenas, localizadas no tronco e parte proximal dos braços e coxas (mais perto dos ombros e quadril), poupando mãos e pés. São numerosas e aparecem abruptamente mais em crianças e adultos jovens.

Psoríase Eritrodérmica:

Lesões generalizadas (75% ou mais da área corporal).

Psoríase Ungueal:

Pode ser comprometimento isolado na psoríase, acometendo mais unhas da mãos que dos pés. São características da doença, mas não específicas. Podem ser mais freqüentemente depressões puntiformes ou manchas amareladas cor de óleo, mas existem outras alterações menos comuns nas unhas.

Psoríase Artropática:

Por volta de 8% dos casos pode haver o comprometimento articular. Na artropatia periférica as manifestações freqüentes são: início agudo (abrupto) ou sub-abrupto, com comprometimento assimétrico de várias articulações nas pontas dos dedos das mãos e pés e, ocasionalmente, associação com alguma articulação grande como joelho ou cotovelo. Quando o quadro articular é prolongado e mais grave, aparecem deformidades nos dedos que adquirem a “forma de salsicha”. Na artropatia central, a coluna lombar superior e torácica inferior são as mais acometidas.

Na artrite psoriásica juvenil (menores de 16 anos), as meninas são mais acometidas e o início do quadro de artrite pode preceder o quadro cutâneo.

Psoríase Pustulosa:

Aparecimento e lesões com pus (mas estáveis). Há uma forma localizada em mãos e pés e uma generalizada.

Psoríase Palmo-Plantar:

Pode haver envolvimento de palmas das mãos e sola dos pés em 12% dos casos. As lesões típicas podem apresentar fissuras (rachaduras), e são de difícil manejo.

Como o médico faz o diagnóstico?

O diagnóstico, em geral, é fácil, e baseia-se na história clínica e achado de lesões típicas com dados característicos na raspagem das lesões ao exame pelo médico.

Em casos mais graves ou formas não usuais pode-se lançar mão de biópsia de pele (exame de pele com diagnóstico característico ou indicativo).

Alguns exames laboratoriais podem colaborar na investigação de desencadeantes da doença (como diabete e infecção estreptocócica).

Como se trata?

É importante fornecer orientações gerais quando à doença, individualizando o tratamento conforme as características de cada paciente. Lembrar do aspecto não contagioso da doença, dos fatores desencadeantes, tais como estresse, frio, exposição excessiva ao sol, algumas doenças (diabetes não controlada, surtos infecciosos), e uso de alguns medicamentos.

Casos leves a moderados (75% a 80% dos casos) podem ser controlados com medicação de uso local na pele, devendo sempre ser indicados e controlados pelo médico.

Os casos mais severos e extensos requerem uma abordagem mais controlada e agressiva, com medicações de uso oral em esquema rotativo, visando o mínimo de efeitos colaterais de cada medicação e uma tolerabilidade maior do paciente com o esquema proposto.

A exposição moderada ao sol e a hidratação contínua da pele são importantes para a maioria dos pacientes.

Como se previne?

É muito importante esclarecer o paciente sobre a doença: sua evolução, desencadeantes, tratamentos disponíveis e envolvimento emocional. Não se tem ainda como prevenir a psoríase.

Cada vez se estuda mais a doença, já com muitos avanços no tratamento, mas ainda é um desafio manter o paciente sem lesões com segurança por muito tempo.

Existe tratamento natural psoríase?

ALOE VERA E ERVAS MEDICINAIS

Apesar de ervas medicinais serem usadas há muito tempo no como tratamento alternativo d

a psoríase na medicina natural, toda e qualquer uso de medicamentos, sejam eles naturais ou não, devem ser realizados com a supervisão médica. A psoríase é uma doença que se não for devidamente tratada, em alguns casos pode evoluir para uma forma mais grave, necessitando inclusive de internação.

O óleo essencial do Vidoeiro é usada em pomadas e sabões medicativos. Da mesma forma, algumas ervas são usadas em forma de ungento, ou seja, em forma de medicamento natural para uso externo, à base de substância gordurosa, empregado para untar o corpo,

ALOE VERA GEL

como é o caso do Pinheiro-Bravo.

A Centella asiatica pode ajudar estimular produção de colágeno quando usado interiormente

e topicamente na pele.

A Harmala, o Poejo, a Linhaça, o Zimbro e a Salsaparrilha também são conhecidas ervas que já foram ou são utilizadas em medicamentos para o tratamento da doença. Já a famosa Babosa (Aloe vera), que já é muito utilizada para tratamento de doenças de pele, vem sendo cada vez mais estudada para seu uso no tratamento dos sintomas da psoríase.

VEJA: Indicação de Produtos

 

%d blogueiros gostam disto: